MENU Cadastre-se / Entrar
22013

PAUTA
Informação e música em harmonia

Movimento Black Rio é declarado ‘Patrimônio Cultural Imaterial do RJ’

Registro do fotojornalista Almir Veiga, do ‘Jornal do Brasil’, reproduzido no livro ‘1976 Movimento Black Rio’. Foto: Divulgação / José Olympio

Projeto de Lei aprovado pela Alerj reconhece o caráter de integração social das festas de soul e funk que, nos anos 1970, reuniam milhares de jovens negros

Postado em 15 de November de 2018 por

Na última quarta-feira (7), a Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro aprovou o Projeto de Lei 4392/2018, de autoria do deputado estadual Waldeck Carneiro (PT-RJ), que declara o Movimento Black Rio como Patrimônio Cultural Imaterial do Rio de Janeiro.

Tendo como embrião um baile com seleção musical de artistas negros e realizado pelo jovem produtor Ozéas Moura dos Santos no dia 11 de novembro de 1969 no Clube Astória, o Movimento Black Rio fez surgir na capital fluminense um sentimento inédito de irmandade e altivez, fenômeno experimentado pela juventude negra local  ao longo de toda década de 1970.

Majoritariamente musical, a cena era difundida em bailes como Soul Grand Prix, Dynamic Soul, Soul Maior, Baile da Pesada, Cash Box, Black Power e Furacão 2000,  que reuniam até 15 mil pessoas e eram marcados pelo culto à soul music e ao funk de ícones da cultura negra norte-americana como James Brown, Aretha Franklin, Stevie Wonder e Curtis Mayfield.

Mesmo com a suspeição do regime militar em curso no País de que aquela movimentação oferecia riscos de insurreição, a influência do Black Rio resistiu ao cerco da ditadura e se espalhou em periferias de vários estados do País.

“A ditadura monitorava bailes, discotecários, produtores, artistas, em busca de uma explicação para o que acontecia naquelas manifestações da cultura negra. O Black Rio merece ser colocado no seu devido lugar na história cultural do Estado do Rio de Janeiro por sua contribuição para a formação de uma geração que não tinha opções de lazer. Mais ainda porque isso se dava numa época em que o acesso à cultura era para poucos. O baile realizado pelo jovem Ozéas Moura dos Santos foi a pedra fundamental do que se tornaria Black Rio, Black Minas, Black São Paulo, Black Bahia”,  afirmou o deputado Waldeck Carneiro, no texto em que defendeu seu Projeto de Lei, apresentado em 13 de setembro último na Alerj e agora aprovado.

Para além da música tocada nos bailes, o Movimento Black Rio também motivou o surgimento de bandas e artistas solo que, na esteira de pioneiros como a banda Dom Salvador & Abolição, Tim Maia, Tony Tornado, Cassiano, Hyldon e Gerson King Combo, defenderam a continuidade de novos subgêneros musicais, como o samba-funk e o samba-soul. Entre esses artistas, estão nomes consagrados, como a Banda Black Rio, o grupo União Black, as cantoras Sandra de Sá e Lady Zu, e os compositores Carlos Dafé e Serginho Meriti.

Em 2012, reformulada por William Magalhães, filho do ex-líder, o saxofonista e arranjador Oberdan Magalhães (1945 – 1984), a Banda Black Rio foi destaque no Estúdio Showlivre. Na ocasião, o grupo lançava o álbum Supernova Samba-Funk, editado somente na Inglaterra, pelo Far Out Recordings. Confira abaixo o show.

Em 2016, celebrando os 40 anos de consolidação do movimento, os jornalistas Octávio Sebadelhe e Luiz Felipe de Lima Peixoto publicaram, pela editora José Olympio, o livro-reportagem 1976 – Movimento Black Rio.

Na ocasião, publiquei uma reportagem sobre o lançamento na extinta revista CULTURA!Brasileiros. O conteúdo não está mais online, mas pode ser conferido abaixo, na íntegra.

Um grito de altivez no salão*

por Marcelo Pinheiro

Nestes tempos obtusos, em que a ascensão do conservadorismo no País faz surgir personagens esdrúxulos como Fernando Holiday – jovem negro, egresso do Movimento Brasil Livre (MBL), que foi eleito vereador por São Paulo com um discurso de combate ao “vitimismo” dos negros, fim das cotas raciais e revogação do Dia da Consciência Negra, celebrado no último dia 20 –, é mais que bem-vinda a chegada às livrarias de um trabalho como 1976 Movimento Black Rio, livro-reportagem dos jornalistas Zé Octávio Sebadelhe e Luiz Felipe de Lima Peixoto.

Publicado pela editora José Olympio, com apoio do projeto Natura Musical, o trabalho de fôlego, que será lançado em São Paulo nesta quinta-feira (24) também integra uma série de ações da Secretaria Municipal de Cultura do Rio de Janeiro em celebração aos 40 anos do Movimento Black Rio. Ao longo de 252 páginas, a dupla de jornalistas reconstitui, com o auxílio de muitos personagens que viveram o período, a história desse fenômeno jovem consolidado com a profusão de bailes majoritariamente frequentados pela negritude carioca.

A efervescência em torno de festas que reuniam até 20 mil pessoas foi tão inspiradora que fez surgir uma cena local de bandas e compositores que amalgamavam os ensinamentos do funk e da soul music norte-americana com gêneros da música popular brasileira, como o samba e o baião. Maior expoente dessa mistura, a Banda Black Rio lançou em 1977 seu primeiro LP, Maria Fumaça (ouça), um clássico das fusões retroalimentadas pela cultura dos bailes, principal alicerce do movimento que deu aos jovens negros do Rio de Janeiro um sentimento inédito de altivez.
Nesse contexto, além da Banda Black Rio, surgiram artistas municiados do mesmo ímpeto de amplificar a soul music à brasileira criada por antecessores como Tim MaiaToni TornadoHyldonCassiano e o grupo Dom Salvador & Abolição. Na nova safra, destaque para União BlackCarlos DaféGerson King ComboDon BetoBeto ScalaLady ZuMárcia MariaTony BizarroSerginho MeritiCopa 7Junior MendesAlmir RicardiSandra de Sá e a dupla Robson Jorge e Lincoln Olivetti. Com ritmo explosivo, eles fizeram a trilha sonora dos blacks, como se autointitulavam os simpatizantes do movimento.

Mal documentada, tema de muitas reportagens preconceituosas feitas na época, a trajetória desses personagens é contada com propriedade no livro. No texto de apresentação da obra, Peixoto pontua argumentos que eram recorrentes para deslegitimar a importância do movimento, como a influência estrangeira e a aparente frivolidade de uma articulação movida a festança.

“A história do Black Rio se encaixa, de certa maneira, numa situação parecida com os escassos registros históricos da cultura negra nacional, obliterados pela amnésia reinante da memória imaterial, característica comum deste País. Pouco se sabe sobre o que foi a influência do soul americano nos subúrbios do Rio de Janeiro no início dos anos 1970. Alguns afirmam não ter sido um movimento autêntico, organizado. Outros alegam que foi apenas um momento em que a juventude negra resolveu dançar uma música diferente”, diz Peixoto.

Pelo conturbado contexto histórico em que surgiu, o jornalista reitera a importância do Black Rio. “Num período ditatorial, a representatividade desse movimento não teve parâmetros. Os negros daqui se mostraram contextualizados num âmbito internacional, estavam em sintonia com o que acontecia pelo mundo. E, através dessa identidade de raça, o Movimento Black Rio se tornou um fenômeno sociológico e político incomparável. Um divisor de águas.”

A crítica de superficialidade da proliferação dos bailes no subúrbio carioca chegou a motivar um protesto do sambista Candeia, manifestado na música Sou Mais Samba (veja vídeo), lançada em 1977. Provocativo, na letra, o partideiro ironiza: “Esse som que vem de fora não me apavora / Nem rock nem rumba / Pra acabar com o tal de soul / Basta um pouco de macumba”. Na última estrofe, depois de afirmar “quem presta à roda de samba não fica imitando estrangeiro”, Candeia pondera: “Calma, calma minha gente / Pra que tanto bambambã / Pois os blacks de hoje em dia são os sambistas de amanhã”. O manifesto anti-Black Rio de Candeia, que contou com a colaboração de Clementina de Jesus e Dona Ivone Lara, é documentado no 15° dos 28 capítulos do livro.

O embate “samba versus soul” chegou a contar com a inusitada opinião do sociólogo Gilberto Freyre, que, em artigo publicado no Jornal do Brasil, alertou “a nação para o perigo da mistura de negros norte-americanos com os brasileiros negros que possuem um movimento chamado Black Rio, com a finalidade de transformar a música negra – o samba, principalmente – em música de protesto”.

Na introdução de 1976 Movimento Black Rio, Sebadelhe reafirma o equívoco de menosprezar as intenções de jovens negros que, ao contrário do que pensavam os que compartilhavam da opinião da velha-guarda do samba e do autor de Casa-Grande & Senzala, não tinham como mote único o hedonismo alienante da dança.

“O Movimento Black Rio teve características tão peculiares que não apenas mudaria as formas de produção cultural da cidade, mas também os hábitos de convivências e as relações do lugar. Essa particularidade uniu jovens negros de outros estados com o mesmo propósito: o direito de se expressar livremente, absorver, produzir cultura e se divertir. Surgia uma mocidade que questionaria veementemente estatutos e modelos arcaicos da civilização brasileira, traços de uma sociedade forjada em severos conceitos da era da escravidão.”

Além da importância textual, o livro também apresenta ao leitor uma rica pesquisa iconográfica, com filipetas, cartazes e fotografias em preto e branco que evidenciam o sentimento de feliz irmandade que havia entre os adeptos da cena difundida em festas promovidas por equipes como Baile da Pesada, Soul Grand Prix, Dynamic Soul, Soul Maior, Cash Box, Black Power e Furacão 2000.

Neste mês de celebração ao espírito aguerrido de Zumbi dos Palmares, temos aqui um livro essencial tanto para
desinformados, como o vereador Fernando Holiday, quanto para a negritude que sempre defendeu o direito de trazer à tona sua história e preservá-la.

Novidades nacionais! Supercombo, Fábio Cardelli, Dionisio Dazul, Verdecaffé e Wallacy Williams

Novidades nacionais! Supercombo, Fábio Cardelli, Dionisio Dazul, Verdecaffé e Wallacy Williams (Foto: Reprodução/Facebook)

Confira algumas novidades da música brasileira

Postado em 14/04/2021 por

SUPERCOMBO | O primeiro lançamento do Supercombo em 2021 trata-se de um relançamento. A música ‘Farol’, originalmente lançada em 2010 no EP ‘Supercombo’, ganhou uma nova cara e alimentando a sede de novidades dos fãs da banda. A faixa está disponível em todas as plataformas de streaming e também no YouTube.

Antes dessa novidade, a banda lançou em novembro single ‘Saudade’, acompanhado de lyric video, e até então havia sido o último lançamento da banda.

FÁBIO CARDELLI | Cinco anos depois do lançamento do álbum de estreia de Fábio Cardelli, ‘A Palavra dos Olhos’, surge o EP de quatro músicas, ‘5 anos de Palavra’. O compacto integra as comemorações, que já conta com o EP ‘Olhos da Palavra’, e traz gravações de shows e live sessions produzidos em diferentes espaços da cultura independente paulista, incluindo um registro raro da primeira banda de apoio do projeto, com Ale Sater (baixo) e Bruno Paschoal (guitarra), ambos do Terno Rei.

DIONISIO DAZUL | Dionisio Dazul lançou Dionisio Dazul é guitarrista e produtor musical, integrante das bandas Forgotten Boys e Vulgo Vórtex, atuante na música desde 96, passando pelos bailes de debutantes e pela publicidade. DIonisio já trabalhou com nomes como Roy Cicala, Dudu Marote, Simoninha, dentre outros.

Dinisio sobre o lançamento “Um Rock-Soul de puro ressentimento que fala de uma dor de cotovelo de mão dupla. Depois de algum tempo não adianta mais negar, é notório que eles não sacaram nada dede o começo!

VERDECAFFÉ | A “meio mineira e meio paulista” Verdecaffé lançou o single ‘Cachoeira’. A faixa representa o retorno da banda com a formação original após um hiato nas atividades.

‘Cachoeira’ apresenta uma sonoridade reggae e fala de amor, trazendo leveza e tranquilidade, numa composição de Israel Fantuzzi, que também assina os violões da faixa. “Com ‘Cachoeira’ tentamos também adentrar este universo mais praieiro, mais roots e largar um pouco aquele estereótipo de banda de rock anos 80. Resumindo, estamos voltando com uma nova roupagem, porém com a mesma filosofia, fazer música autoral brasileira e sem deixar a sonoridade original da Verde morrer.” Comenta o vocalista.

WALLACY WILLIAMS | Gravada de maneira analógica por Luis Tissot no Caffeine Sound Studio, São Paulo, antes do início da pandemia, ‘Explode’ é o novo single de Wallacy Williams, lançado pelo selo Maxilar. Wallacy gravou acompanhado de Ana Zumpano e Bigu Medine. Um psicodélico rock de garagem gravado na fita K7. Confira:

Novidade para o R&B e para a música brasileira, Brvnnin lança o clipe de ‘Como Eu Sonhava’

Novidade para o R&B e para a música brasileira, Brvnnin lança o clipe de ‘Como Eu Sonhava’ (Foto: Rafael Almeida)

Single de estreia é lançado pelo selo Free Birdz

Postado em 13/04/2021 por

‘Como Eu Sonhava’ é o single de estreia do cantor e compositor Brvnnin. Um R&B com influência do soul brasileiro que nos leva para o lugar do recomeço, do risco, da construção e da paixão pelo outro, pelo que se é e pelo que se faz. O artista revela no single forte influência de Tim Maia.

“‘Como Eu Sonhava’ é simbólico como primeiro single da minha carreira porque é a materialização do meu sonho e a música é sobre exatamente isso: sonhar e ser agente ativo da realização desse sonho. É o que eu estou vivendo agora, é a mensagem que eu quero passar para as pessoas que, como eu, sonham em viver da música.”

A junção da musicalidade, moda e arte visual atrelados à estética e a um estilo de vida, faz nascer ‘Como Eu Sonhava’, que projeta um futuro próspero para o cantor. Brvnnin é um artista do selo Free Birdz, novo selo que têm trazido novidades e inovação pro mundo da música.

Luigi e Leandro se apresentaram no 2º episódio do Trilha de Sexta

Luigi e Leandro se apresentaram no 2º episódio do Trilha de Sexta (Foto: Caru Leão)

Programa é produzido pelo Showlivre

Postado em 12/04/2021 por

O segundo episódio do Trilha de Sexta trouxe Luigi e Leandro direto para a sua casa pelo R7 e no canal do YouTube da Record TV, com o patrocínio da Cerveja Crystal e produção do Showlivre.

Em novo formato, para manter a segurança da produção e dos artistas, o programa está sendo gravado temporariamente em etapas: a apresentadora Jacky Petkovic segue no estúdio Showlivre, sozinha. Já os convidados – neste episódio os irmãos Luigi e Leandro – se apresentaram de casa. O resultado segue a trinca já conhecida: música boa, papo animado e Crystal gelada.

Nascidos em São Caetano do Sul, no ABC Paulista, o gosto pelo sertanejo veio do avô, sanfoneiro que tocava na Rádio Cacique de Sorocaba, no interior de São Paulo. No Trilha de Sexta, a dupla canta sucessos como “Senha do Wi-Fi”, “Casa da Vó” e “Zé Tião” e contam muitos causos desses 12 anos de estrada.

Ao longo do programa você também pode conferir as novidades dos artistas independentes selecionados no Produtor Crystal, que dá aquela força para os novos talentos.

Em breve, primeira temporada do Showlivre Santa Catarina

Em breve, primeira temporada do Showlivre Santa Catarina

Postado em 01/04/2021 por

Em parceria com o programa Estúdio Pimenta, o Showlivre está preparando a produção da primeira temporada do SHOWLIVRE SANTA CATARINA! O Estúdio Pimenta é um estúdio tradicional na região, localizado em Florianópolis, e será nosso parceiro nessa temporada.  

AAA_9805 Em breve, primeira temporada do Showlivre Santa Catarina
Estúdio Pimenta Music (Foto: Divulgação)

O SHOWLIVRE VAI PRA PERTO DE VOCÊ PARA FAZER SUA MÚSICA IR CADA VEZ MAIS LONGE!

UMA LIVE COM O MELHOR DA SUA MÚSICA, TRANSMITIDA E GRAVADA NO ESTÚDIO PIMENTA, NOSSO PARCEIRO EM SANTA CATARINA!

LANÇAMENTO DE UM ÁLBUM AO VIVO MIXADO E MASTERIZADO!

VOCÊ RECEBE ROYALTIES VIA SPOTIFY, DEEZER, APPLE MUSIC, YOUTUBE, ENTRE OUTROS!

Transmita seu som pelo Showlivre.com! Estamos prontos para te receber, com medidas especiais de segurança, e transmitir seu som para o mundo! São 20 anos de experiência e dedicação à música ao vivo, transmitindo, gravando e lançando diversos artistas de todos os gêneros e em diferentes momentos da carreira. Mais de um milhão de assinantes para conhecer o seu trabalho. Seja vivo! Faça seu “ao vivo” com o Showlivre.com!

SEGURANÇA
Estúdio totalmente preparado para atender aos artistas e a nossa equipe nesse momento de pandemia, onde os espaços para artistas estão bem limitados. Nossas instalações são higienizadas frequentemente e nossa equipe está treinada e protegida, atuando todo o momento com trajes e equipamentos de segurança e higiene, para que possamos receber a todos com a máxima segurança.

GRAVAÇÃO
São mais de 10 profissionais envolvidos na gravação, sem a necessidade de contato direto com o artista, atuando de fora da sala de gravação. O Showlivre atua junto ao artista da pré-produção ao lançamento.

TRANSMISSÃO
Live com uma hora de duração, apresentação de dez músicas (em média) e interação com o público através de vídeos de perguntas enviadas a produção.

LANÇAMENTO
Um álbum ao vivo produzido pelo Showlivre para o artista e distribuído nas plataformas digitais, vídeos da apresentação na íntegra e clipes individuais lançados no YouTube, amplamente divulgado em parceria entre artista e Showlivre.

As vagas são limitadas, não fique de fora, entre em contato agora!
E-mail: [email protected]
Tel: 11 94380-9716 (WhatsApp)

Camurça completa um ano de lançamentos pensando no futuro

Camurça completa um ano de lançamentos pensando no futuro (Arte: Victor Pelicano)

Banda surgiu durante a pandemia e fez diversos lançamentos

Postado em 30/03/2021 por

Há pouco mais de um ano, no início da quarentena no Brasil, a banda Camurça lançava seu single de estreia, ‘No Miolo do Oco’, com direito a lyric video produzido pelos irmãos Luca e Davide Bori (Vivendo do Ócio).

Neste período difícil e sem fazer shows por conta da crise do novo coronavírus, a banda atuou e se posicionou no ambiente digital, mas sem esquecer da velha mídia, crescendo cada vez mais nos números de plays no Spotify, YouTube, demais plataformas de streaming e seguidores nas mídias sociais, mas também marcando presença nas principais rádios e TVs por todo país.

O clipe da música ‘Cuida’, o último dos lançamentos, veio para consolidar o trabalho da banda e quebrar de vez qualquer amarra a um só estilo musical. Uma animação que ilustra a história na canção, produção de Handel Meireles, com roteiro de Enzo. Confira: 

Entre o lançamento dos singles ‘No Miolo do Oco’ e ‘Cuida’, foram lançados ainda o EP ‘Nuncacabando’ e o álbum ‘Carnaval em Preto e Branco’, todos produzidos por Matheus Brasil e disponíveis em todas as plataformas de streaming.

Segundo conta Enzo Camurça, vocalista da banda, “2021 será um ano bem produtivo para nós e de grandes parcerias, algumas confirmadas, outras em conversação. Nos resta esperar pra ver quais artistas convidados vão abraçar esses ‘quarenteners’ e trazer mais música boa nesse momento onde ela se faz mais necessária que nunca.”

A banda trabalha atualmente na produção de um álbum que será produzido ao longo deste ano, ainda sem data de lançamento definida.

Vem aí a primeira temporada do Showlivre Paraná

Vem aí a primeira temporada do Showlivre Paraná

Apresentações terão parceria do programa Captura da Mundo Livre FM

Postado em 29/03/2021 por

Em parceria com o programa Caputra, da Mundo Livre FM, o Showlivre se prepara para gravar a primeira temporada do SHOWLIVRE PARANÁ! O Captura é um programa referência em musica brasileira na região do Paraná, transmitido em Curitiba, Londrina e Maringá.

O independente e underground nacional em horário nobre. Todas as segundas-feiras, às 20h, você conhece o que há de melhor no midstream, em uma hora de seleções inspiradas nos festivais independentes e nas iniciativas autônomas da música brasileira. Um dos destaques do Captura Mundo Livre é o Shut up, única pílula de música instrumental da programação. O programa traz ainda dicas diretas de profissionais do showbiz para formação de novos profissionais do underground e abre as portas do FM para a cena local. Então fica ligado(a), o programa rola todas as segundas-feiras, ao vivo, a partir das 20h, com produção e apresentação de Vitor Salmazo.  

1X0A0680-1 Vem aí a primeira temporada do Showlivre Paraná
Vitor Salmazo, produtor e apresentador do Captura Mundo Livre

O SHOWLIVRE VAI PRA PERTO DE VOCÊ PARA FAZER SUA MÚSICA IR CADA VEZ MAIS LONGE!

UMA LIVE COM O MELHOR DA SUA MÚSICA, TRANSMITIDA E GRAVADA EM NOSSO ESTÚDIO PARCEIRO NO PARANÁ!

LANÇAMENTO DE UM ÁLBUM AO VIVO MIXADO E MASTERIZADO!

SUA MÚSICA NA RÁDIO! LANÇAMENTO NO PROGRAMA CAPTURA, NA MUNDO LIVRE FM!

VOCÊ RECEBE ROYALTIES VIA SPOTIFY, DEEZER, APPLE MUSIC, YOUTUBE, ENTRE OUTROS!

Transmita seu som pelo Showlivre.com! Estamos prontos para te receber, com medidas especiais de segurança, e transmitir seu som para o mundo! São 20 anos de experiência e dedicação à música ao vivo, transmitindo, gravando e lançando diversos artistas de todos os gêneros e em diferentes momentos da carreira. Mais de um milhão de assinantes para conhecer o seu trabalho. Seja vivo! Faça seu “ao vivo” com o Showlivre.com!

SEGURANÇA
Estúdio totalmente preparado para atender aos artistas e a nossa equipe nesse momento de pandemia, onde os espaços para artistas estão bem limitados. Nossas instalações são higienizadas frequentemente e nossa equipe está treinada e protegida, atuando todo o momento com trajes e equipamentos de segurança e higiene, para que possamos receber a todos com a máxima segurança.

GRAVAÇÃO
São mais de 10 profissionais envolvidos na gravação, sem a necessidade de contato direto com o artista, atuando de fora da sala de gravação. O Showlivre atua junto ao artista da pré-produção ao lançamento.

TRANSMISSÃO
Live com uma hora de duração, apresentação de dez músicas (em média) e interação com o público através de vídeos de perguntas enviadas a produção.

LANÇAMENTO
Um álbum ao vivo produzido pelo Showlivre para o artista e distribuído nas plataformas digitais, vídeos da apresentação na íntegra e clipes individuais lançados no YouTube, amplamente divulgado em parceria entre artista e Showlivre. Além disso, o lançamento será divulgado no programa Captura na Rádio Mundo Livre FM (Curitiba, Londrina e Maringá).

As vagas são limitadas, não fique de fora, entre em contato agora!
E-mail: [email protected]
Tel: 11 94380-9716 (WhatsApp)

Festival Mundo Pensante acontece online com programação diversa

Festival Mundo Pensante acontece online com programação diversa (Foto: Divulgação)

Shows serão nos dias 26 e 27/03 com produção do Showlivre

Postado em 23/03/2021 por

O nome já diz tudo! No Festival Mundo Pensante, a diversidade artística é abordada através de shows, oficinas, rodas de conversa, com foco em gestão cultural, e DJs sets. Com 22 atrações, a 10ª edição do evento teve shows com produções feitas pelo Showlivre. Pela primeira vez, o festival será totalmente online e gratuito.

O festival que tem a curadoria do designer, músico, produtor e fundador do Mundo Pensante Paulo Papaleo conta com shows de Anelis Assumpção, Chico César, Di Melo, Funmilayo Afrobeat Orquestra, Luê, Metá Metá e UriaS nos dias 26 e 27 de março. Além das apresentações, o evento terá Vivian Marques e o DJ NUts no comando das pick-ups.

A grande novidade desse ano é a interação com profissionais das mais diversas áreas de comunicação, acessibilidade e música nas rodas de conversa e oficinas. Esses especialistas criam trabalhos bem diferentes para públicos semelhantes, em uma programação curiosa pelas escolhas e interessante por suas possibilidades de resultado. E nessa edição vem ainda mais forte e conectado com as necessidades do público, ávido por conhecimento e coletividade: a especialista em comunicação digital com foco em cultura, música e diversidade, Bia Bem apresenta a Oficina de Comunicação e Música; cantora, compositora e atriz  Luiza Caspary comanda a Oficina de Acessibilidade Cultural; no comando da Oficina de Produção Musical Gravando em Casa, o baixista e produtor musical Guilherme Chiapetta.

A programação de shows e rodas de conversa pode ser vista no YouTube do Festival Mundo Pensante https://youtube.com/user/mundopensantesp .

Informações: http://mundopensante.com.br/rr_events/festival-mundo-pensante-online-gratis/

Shows:

Dia 26 de março – 19h
Show case 1
Show case 2
Di Melo
Metá Metá
Anelis Assumpção
DJ Vivian Marques

Dia 27 de março – 19h
Show case 3
Show case 4
Luê
UriaS
Funmilayo Afrobeat Orquestra
Chico César
DJ Nuts

Confira como foi a estreia da 2ª temporada do Trilha de Sexta

Com apresentação de Jacky Petkovic, programa do Portal R7 é produzido pelo Showlivre

Postado em 11/03/2021 por

A segunda temporada do Trilha de Sexta começou. Na noite da última sexta-feira (5). A apresentadora Jacky Petkovic recebeu os convidados no estúdio do Showlivre para gravar o aguardado programa de estreia, que juntou música de qualidade, boa resenha e cerveja Crystal gelada. Em plena sexta-feira, nada melhor do que curtir um happy hour de qualidade dentro de casa!

A primeira dupla convidada da temporada foi Althair & Alexandre, que além de parceiros na música, são irmãos. A carreira de Alexandre começou na década de 1980, quando ele foi destaque no programa da Rádio Record “Linha Sertaneja Classe A” e só ganhou forças a partir daí. Autor de mais de 1.500 composições gravadas por diferentes artistas, Alexandre recebeu o irmão Althair como parceiro na dupla nos anos 1990 e desde então seguem juntos na estrada. Durante o papo, eles falaram sobre o processo de criação de letras que agradam o público e, claro, cantaram alguns sucessos, como “Deus Me Livre”, “Página de Amigos”, “Laço Aberto”, “Estrada do Amor” e “Toneladas da Paixão”

Outro convidado do Trilha de Sexta foi o cantor Bruno Araujo, paranaense com muita história na música. Desde os 8 anos ele toca piano e aprendeu outros instrumentos ao longo da vida, mas foi em 2002, quando estudava Direito, que mostrou seu talento ao público com uma banda. Bruno também já participou de uma dupla, com Juliani Fernandes, e agora segue carreira solo, conquistando cada vez mais fãs. 

No Trilha de Sexta, Bruno falou que acredita que a música ofereça uma experiência aos ouvintes, que vai além da letra ou melodia, gerando identificação. Ele também deu dicas preciosas para quem está começando na carreira, falando sobre o passo a passo para tornar um trabalho musical conhecido. E é claro que ele cantou seus sucessos! “A Culpa é Toda Minha”, “O Coração Não Sabe Te Esquecer”, “Quatro Fases de Um Coração”, “O Pai Tá de Stand By” e “Orgulho” foram as músicas que ele escolheu para animar o programa.

A jornalista Rebeca Giancursi também participou do programa e contou suas experiências mais inusitadas da carreira, como quando dirigia um carro enquanto entrevistava convidados em um programa de TV em sua cidade, Marília, no interior de São Paulo. 

No Produtor Crystal, cinco artistas independentes mostraram seu talento e também deram um show na estreia do Trilha de Sexta! Assim como eles, se você tem uma banda ou é cantor, inscreva-se e sua música pode aparecer nas próximas edições do programa.

Confira aqui o primeiro episódio da 2ª temporada de Trilha de Sexta:

Novidades nacionais! PrimeiraMente, Haikaiss, Stefanie e Zudizilla, BreakDown e Dudu e Froid

Novidades nacionais! Lançamentos nacionais! PrimeiraMente, Haikaiss, Stefanie e Zudizilla, BreakDown e Dudu e Froid (Foto/PrimeiraMente: Divulgação)

Confira algumas novidades do rap nacional

Postado em 09/03/2021 por

PRIMEIRAMENTE | O grupo de rap paulistano PrimeiraMente lançou o single ‘Premeditado‘, faixa que fará parte de seu novo álbum, previsto para esse ano. Com uma sonoridade pesada de trap, o grupo apresenta mais uma vez a característica originalidade e conteúdo nas ideias, com uma letra de críticas sociais e reflexões fortes, com flows marcantes e melódicos.

O single veio acompanhado de um clipe cinematográfico, com ótima fotografia. O roteiro colocou cada artista em um papel diferente, em diversos cenários. Pablo Palli foi o responsável pelo roteiro e direção geral, sendo Luan Palli responsável pela direção de fotografia e edição. O instrumental ficou nas mãos de Patrício Sid.

HAIKAISS | Potência do rap nacional, Haikaiss segue com sua rima afiada em uma sequência de lançamentos em 2021. Sem medo de colocar o dedo na ferida, o quarteto paulistano faz de ‘Tóxico’ mais uma amostra da sua lírica atual em uma letra provocadora que aborda o contrabando de cigarros. A faixa estreia com um clipe que escancara esse submundo e suas vítimas.

O vídeo vai dos encontros escusos à comercialização de cigarros contrabandeados em plena luz do dia e mostra como essa atividade prejudica a sociedade, os consumidores e ajuda a financiar o crime. Acompanhando um vendedor que tenta sobreviver a mais um dia, o clipe culmina numa intensa batida policial.

STEFANIE e ZUDIZILLA | Calma, mas com uma voz contundente, firme. Stefanie é romântica, equilibrada e poderosa. Em seu primeiro single com videoclipe de 2021, intitulado ‘Raio de Sol’, Stefanie traz na poesia muitos dos dilemas de nossas vidas. Quantas vezes não quebramos a cara por persistir em algo que não nos satisfaz ou que nos põe pra baixo? Quantas vezes as nossas incertezas e inseguranças em relação aos nossos projetos e planos não nos paralisam?

Ao lado de Zudizilla, Stefanie rima a favor da esperança e da dedicação de cada um para se buscar e alcançar aquilo que se acredita. E tudo isso se alcança com gratidão, gratidão por estar vivo e por poder experimentar essa realidade com fé e espiritualidade.

BREAKDOWN | O rapper BreakDown lançou o single, “Hei Mina”, abordando paixão, juventude e empoderamento feminino. Com um ritmo envolvente que mistura rap e hip hop, o artista que é ex-morador de rua conta a história de uma paixão da juventude, sob a perspectiva da valorização da mulher. “Ele se apaixonou por uma mulher forte e dona de si, o romance juvenil não deu certo, mas o olhar dela não saiu da cabeça dele”. O clipe faz parte do projeto #nascinaesperança, com selo RapSP2050.

DUDU e FROID | Após um 2020 bastante movimentado, no qual lançou em sequência o EP ‘Jordan Boyz Vol. 2’ e seu primeiro álbum, ‘Acídia’, além de cinco singles – todos pela Som Livre -, o rapper capixaba Dudu inicia 2021 com o pé direito ao apresentar a faixa ‘Mesmo Que Não Queira Me Ouvir‘. O trabalho, fruto da parceria com o brasiliense Froid e que já está disponível em todas as plataformas de música, conta com sonoridade romântica e letra visceral, traduzindo simbolicamente a fase adulta de Dudu, onde suas preocupações, trabalho e posicionamento apontam novas direções. Combinando com a track, os rappers protagonizam ainda um videoclipe, que mescla uma atmosfera de reflexões introspectivas com elementos de ostentação, com direito a cenas com champanhe em um jatinho.

The Offspring lança single inédito e anuncia novo álbum após quase 10 anos

The Offspring lança single inédito e anuncia novo álbum após quase 10 anos (Foto: TIJSVL)

Lançamento é previsto para 16 de abril

Postado em 24/02/2021 por

Um dos principais nomes do punk-rock mundial, The Offspring irá lançar um novo álbum após quase uma década. O décimo álbum de estúdio da banda ‘Let The Bad Times Roll’ vai estar disponível via Concord Records no dia 16 de Abril, 2021. Confira o novo single, que saiu hoje (24) acompanhado de lyric video.

Lendas e inovadores da cena punk-rock californiano, The Offspring já venderam mais de 40 milhões de álbuns mundialmente, venceram inúmeros prêmios, e já realizaram turnês, tocando mais de 500 shows apenas na última década. Suas músicas já impactaram em filmes, televisão, e videogames, mas a banda decidiu focar em um novo álbum para ser lançado em 2021. The Offspring é formada pelo cantor Dexter Holland, guitarrista Noodles, baterista Pete Parada e o novo baixista Todd Morse.

As novas músicas foram escritas e gravadas durante os últimos anos em diversas locações incluindo o estúdio da banda em Huntington Beach, Califórnia. O álbum é a terceira vez de The Offspring trabalhando em colaboração com o lendário produtor Bob Rock.

Fiel à irreverência no cerne da música punk-rock, a banda e o letrista Dexter Holland inspecionaram momentos culturais atuais e não fugiram de criar materiais tópicos neste álbum. A faixa título, escrita no final 2019 e gravada em 2020, reflete os desafios constantes do país. Holland diz: “Eu sinto que estamos em um período único na história onde ao invés dos nossos líderes mundiais dizerem ‘estamos fazendo o nosso melhor’, eles dizem algo como ‘foda-se’ e é algo assustador.”

Como disse o guitarrista Noodles: “As pessoas estão dizendo, se tudo está indo para o inferno, podemos muito bem tirar o máximo de proveito disso, ou pelo menos tentar. ‘Let The Bad Times Roll!’”