Lucas Laranjeira

Novidades nacionais! Vespas Mandarinas, Jardim Soma, Caio Uehbe, Roberta Campos e Braza e Big Up (Foto: Rui Mendes)

Novidades nacionais! Vespas Mandarinas, Jardim Soma, Caio Uehbe, Roberta Campos e Braza e Big Up

Ouça novidades da música brasileira

Postado em 16/07/2021 por

VESPAS MANDARINAS | ‘Distraídos Venceremos’ (ao vivo) é o novo single do álbum ‘Cala Boca Já Morreu Ao Vivo’, que será lançado ainda em 2021. Será o quarto álbum da banda, gravado pelas Vespas Mandarinas em formato de power trio com Thadeu Meneghini ao lado da baixista Helena Papini e do baterista Peu Lima. A baixista Débora Cristian figura como convidada da música Carranca.

A capa é assinada por Luca Bori (Vivendo do Ócio). As músicas do novo álbum foram captadas em apresentações feitas pela Vespas Mandarinas na cidade de São Paulo (SP) de março a outubro de 2019.

JARDIM SOMA | “Uma ode à nostalgia e à amizade”. É com esse espírito que o baixista e vocalista da Vivendo do Ócio, Luca Bori, divulga mais uma música inédita do seu projeto solo, Jardim Soma. música da vez é ‘Sopro’, canção que traz uma mensagem de fé e esperança em meio ao isolamento social. 

O artista gravou a faixa no Estúdio Carmo 44, em Salvador (BA). Na ocasião, Luca produziu, cantou e tocou guitarra, baixo, entre outros instrumentos inspirando-se principalmente em nomes como Gorillaz, Mutantes, Crumb, Homeshake, Curumin e John Frusciante. Esta é a primeira vez que o músico também assina a mixagem e a masterização de uma música.

CAIO UEHBE | Poesia de Drummond, dilemas existenciais e a vida na pandemia são referências para Caio Uehbe na música ‘E Agora?’, a estreia da carreira solo do vocalista da banda Rota 54 e que chega às plataformas digitais pelo selo Orangeira Music.

‘E Agora?’ dialoga com a urgência do momento, afinal, quem nunca parou para refletir o que é a vida e o que faz da vida nesta inédita, inesperada e mundial situação de crise sanitária? Assista ao clipe:

ROBERTA CAMPOS | Roberta Campos lançou ‘Miragem’, single e clipe que anunciam seu novo álbum, com lançamento marcado para 30 de julho pela Deck. Com produção musical de Paul Ralphes, a música revela beats e arranjos em tom de reggae que condizem com o convidado especial: Alexandre Carlo, do Natiruts.

“Essa canção foi feita em cima de um riff que criei no meu violão, numa tarde em São Paulo. A ideia era passear naquele looping e ir trabalhando a melodia e a letra, que descreve uma conversa. Quis deixar bem claro esse diálogo durante a gravação no estúdio, tanto que uma voz sobrepõe a outra em alguns momentos, e eu escrevi para ser cantada assim”, conta Roberta.

BRAZA e BIG UP | ‘A Vida Começa Agora’ é fruto de um laboratório musical, promovido pela Embaixada da Espanha, convidando artistas brasileiros a criarem um single dentro de uma atmosfera espanhola. Essa ação também promove o encontro de dois artistas que são referência em seus respectivos estilos. Assim, a carioca Braza e a paulistana Big Up se juntaram. Bandas com um posicionamento forte no Brasil, se destacando pela atitude do som e personalidade nas letras.

Essa colaboração traz a ensolarada ‘A Vida Começa Agora’, com sonoridade envolvente e eclética, misturando tradições brasileiras com a rica cultura espanhola, fundindo pop com rap nas melodias e trazendo através do violão referências ao flamenco. O clipe, dirigido por Leo Pinotti em parceria com os próprios artistas, traduz a alegria da canção através de imagens dos músicos captadas no estúdio durante as gravações intercaladas com belas cenas da Espanha.

Quer ficar por dentro das novidades nacionais? Ouça e siga a nossa playlist, disponível no Spotify, Deezer e YouTube Music.

No Dia Mundial do Rock, Wander Wildner lança álbum e show ao vivo (Foto: Caru Leão)

No Dia Mundial do Rock, Wander Wildner lança álbum e show ao vivo

Show Power Trio Ao Vivo foi gravado no Showlivre

Postado em 13/07/2021 por

Verbete obrigatório da enciclopédia virtual do rock desde que era cantor dos Replicantes nos anos 80, Wander Wildner estreou sua carreira solo em 1996 com o célebre álbum ‘Baladas Sangrentas’, gravado pelo amigo e lendário produtor Tom Capone. No dia 12 de março de 2020, Wander Wildner subiu ao palco do Bar Opinião, em Porto Alegre, para mais uma apresentação de sua turnê, acompanhado de Georgia Branco (baixo e backing vocal) e Pitchu Ferraz (bateria e backing vocal), e juntos fizeram um show, que foi gravado, e virou o disco ‘PowerTrio AoVivo’. Confira ‘No Ritmo da Vida’ ao vivo no Showlivre:

Na sequência, Wander e as garotas se acertaram, iam pegar a estrada para divulgar o novo álbum, porém, uma pandemia se alastrou pelo planeta e todos tiveram que ficar de quarentena, em suas casas. Sete meses depois, Wander, Georgia e Pitchu voltaram a apresentar o show, desta vez, no palco do Showlivre, dia 15 de outubro de 2020.

O show completo estreia hoje, 13/07, Dia Mundial do Rock, as 20h no canal do Showlivre no YouTube:

O lançamento está disponível no Spotify, Deezer, Apple Music, Tidal, YouTube Music e demais plataformas: https://album.link/hwkpmbrrfpswc

Curte rock nacional? Siga nossa playlist de rock, disponível no SpotifyDeezer e YouTube Music!

Plebe Rude comemora 40 anos com lançamento de single (Foto: Caru Leão)

Plebe Rude comemora 40 anos com lançamento de single

Faixa integra a segunda parte do projeto ‘Evolução’

Postado em 08/07/2021 por

No dia 7 de julho de 1981 era formada a Plebe Rude, que se tornou uma das principais bandas de rock do país e carrega na bagagem sete álbuns de estúdio e três ao vivo. Após exatos 40 anos, o grupo lançou nesta quarta-feira (7) o primeiro single do disco ‘Evolução – Vol. II’, intitulado ’68’.

A faixa, produzida pelo vocalista Philippe Seabra, faz parte do projeto ‘Evolução’, que teve seu primeiro volume lançado em 2019. O trabalho narra em um total de 28 canções, a trajetória do ser humano na Terra através de uma ampla análise do homem, do seu desenvolvimento e de sua vivência em sociedade.

’68’ ganhou um lyric video assinado por Fernando Dalvi, também responsável pela arte do single.

O baixista André X conta que ’68’ foi escolhida para apresentar o álbum ‘Evolução – Vol. II’ por discorrer sobre um tema, ainda, relevante. “É sobre um ano marcante do século XX, no qual, em várias localizações do globo, protestos contra o status quo se levantaram, com consequências explosivas”, revela. André X diz que a banda foi atraída pelo fato de que muitos dos levantes foram comandados ou tiveram a participação de jovens. “Além de todas as consequências políticas e sociais, os protestos trouxeram a juventude para a cena global, como protagonistas. Após 1968, minorias e excluídos também passaram a ter voz e serem representados. Foi um ano anti-repressão, que procurou mudar a sociedade, tornando-a mais inclusiva, tolerante e livre. Apanharam muito, mas não cederam”.
 
Seabra também aponta a importância do ano específico escolhido pela Plebe como tema da nova canção. “68 foi um ano de muitas lutas, desde os protestos contra a guerra do Vietnã, dos direitos civis e a primavera de Praga. O assassinato do Martin Luther King talvez tenha sido o fato mais marcante. Mas foi como o ano terminou que marcou 68 e deu significado e esperança para tudo o que aconteceu. O Apollo 8 em dezembro circundou a Lua pela primeira vez e foi ali que vimos toda a fragilidade da Terra através da famosa imagem ‘earthrise’. Um ano tão difícil foi encerrado com a raça humana se vendo na vastidão do espaço. Quem sabe aprenderia a deixar de lado as diferenças e cuidar daquele pontinho no céu”.

Apesar da Plebe Rude se debruçar em um tema do passado com a faixa single de ‘Evolução – Vol. II’, o baixista conclui que o momento atual está presente em todas as músicas do projeto ‘Evolução’“Me pego ouvindo o disco e pensando: essa música é sobre algo que aconteceu na história tempos atrás, mas parece que estamos cantando sobre hoje”. E finaliza: “Com a nova onda conservadora se consolidando, é importante o exemplo histórico de que lutar é possível”. O vocalista concorda: “A letra é assustadoramente atual. Esse momento esdrúxulo que estamos passando pediu um comentário social que ninguém está abordando”.
 
O álbum ‘Evolução – Vol. II’ foi finalizado antes do início da pandemia de Covid-19, no entanto Seabra revela que a faixa ainda inédita, ‘A Hora de Parar’, teve uma atualização para abarcar o tema. “A trajetória do homem, tristemente previsível, nos fez não ter que atualizar mais nada. O ‘Volume 2’ começa na revolução industrial e segue a história desse curioso rebanho que tende à autodestruição. Mas durante o caminho quem sabe aprenda alguma coisa para reverter esse futuro sombrio”.
 
Quanto aos 40 anos da banda, o vocalista comemora: “Quem diria, hein? Muita história, amizade e conscientização. Parabéns. O rei está morto, viva a Plebe!”

Curte rock nacional? Siga nossa playlist de rock, disponível no SpotifyDeezer e YouTube Music!

Dona Iracema lança ‘Canto Velório’ em homenagem às vidas perdidas na pandemia (Foto: Fernanda Meira)

Dona Iracema lança ‘Canto Velório’ em homenagem às vidas perdidas na pandemia

Single e clipe trazem mensagem triste e necessária sobre o momento que vivemos

Postado em 11/06/2021 por

A banda baiana Dona Iracema lançou o single e clipe de ‘Canto Velório’, pelos selos Orangeira Music e Ruffo. A música, que fala do delicado e difícil momento de dar adeus às pessoas queridas, funciona também como um ensaio sobre a morte em tempos de pandemia. O single está disponível em todas plataformas de streaming.

‘Canto Velório’ é a última parte, o último capítulo, a última canção do próximo disco, ‘Velório’, escolhida como primeiro single para apresentar a ideia central do disco de uma maneira sutil e, ao mesmo tempo, arrebatadora.

A Dona Iracema é uma banda que preza, sobretudo, pela sinceridade em suas obras. Em ‘Canto Velório’, não se contiveram em abaixar as distorções, deitar as baquetas e abrir o peito para falar de um assunto tão sensível. Aqui, o despojado e enérgico caatincore da Dona Iracema (mistura única da banda, que mistura hardcore e rock/metal com baião, forró e axé) dá lugar à cantos e melodistas intimistas, às vezes um literal canto de velório.

A música tem participação de André T, Sammliz, Rejane Ayres e Enzo Camurça (Camurça).

A banda, com base na cidade de Vitória da Conquista, fala sobre a concepção de ‘Canto Velório’ e do disco, ‘Velório’, em meio a um turbilhão de emoções. “Quando nos reunimos para começar a construir o disco, não imaginávamos que passaríamos por tudo isso, e todos sentimentos que nos assolariam nesse período, nesse sentido, transformamos todo nosso luto, toda a nossa saudade, todo nosso medo, em uma homenagem à todas as vítimas que não puderam ter seu último adeus, sem uma despedida digna, sem o seu velório”.

O projeto tem apoio financeiro do Estado da Bahia através da Secretaria de Cultura e da Fundação Cultural do Estado da Bahia (Programa Aldir Blanc Bahia) via Lei Aldir Blanc, direcionada pela Secretaria Especial da Cultural do Ministério do Turismo, Governo Federal.

Quer ouvir as novidades nacionais em uma só playlist? Só chegar!

Lançamento! Radicado no samba paulistano, Cris Alves lança álbum ao vivo gravado no Showlivre (Foto: Acervo Showlivre)

Lançamento! Radicado no samba paulistano, Cris Alves lança álbum ao vivo gravado no Showlivre

Postado em 09/06/2021 por

Cris Alves, cantor e compositor natural de São Paulo, é um músico radicado no samba paulistano. Iniciou sua carreira em 1994, participando das alas de compositores de samba enredo em agremiações como Camisa Verde e Branco, Gaviões da Fiel e Tom Maior. Idealizador, escritor e pesquisador, o artista já desenvolveu e publicou o livro ‘A Representatividade Negra na Política Brasileira’ (2008). Em 2015 lançou a música ‘Mané Leva e Traz’ de sua autoria. Em 2017 produziu o projeto ‘Samba só com Nomes de Mulheres’, com uma vasta pesquisa através dos tempos, localizando o primeiro samba gravado com nome de mulher e demais canções até os dias atuais.

Em 2019, Cris lançou o EP ‘Estamos Prontos Para de Novo Amar’, com quatro músicas autorais: ‘Estamos Prontos Para de Novo Amar’, ‘Briga Banal’, ‘Minando Meus Desejos’, ‘Mal te Acostumar’, disponível em todas as plataformas digitais.

Em 2020, foi contemplado para apresentação no Showlivre, na Lei Aldir Blanc pela Prefeitura de Praia Grande, onde reside atualmente, com o ‘Projeto Músicas Autorais na pandemia: foi o que nos restou’.

Confira a apresentação completa de Cris Alves no Showlivre. O álbum está disponível nas plataformas de streaming e traz 15 faixas, clique aqui e ouça agora!

Curte Samba e Pagode? Então temos a playlist certa pra você! ‘Samba e Pagode ao vivo’, disponível no Spotify, Deezer e YouTube Music!