Lucas Laranjeira

Gabriel Diniz, cantor do hit ‘Jenifer’, morre aos 28 anos em queda de avião (Foto: Rubens Zerqueira/Divulgação)

Gabriel Diniz, cantor do hit ‘Jenifer’, morre aos 28 anos em queda de avião

Acidente aconteceu nesta segunda em Estância (SE)

Postado em 27/05/2019 por

O cantor Gabriel Diniz, que ficou conhecido pelo hit “Jenifer”, morreu nesta segunda-feira (27), aos 28 anos, na queda de um avião de pequeno porte no povoado Porto do Mato, em Estância, na região sul de Sergipe.

Segundo informações fornecidas Polícia Militar, há três mortos: além de Gabriel Diniz, foram identificados Linaldo Xavier e Abraão Farias, pilotos e diretores do Aeroclube de Alagoas. Inicialmente, o Grupamento Tático Aéreo (GTA) havia informado que eram quatro ocupantes na aeronave, que decolou de Salvador e tinha como destino Maceió.

Assista ao clipe de “Jenifer”:

A Universal Music publicou uma nota oficial sobre o falecimento do cantor, confira:

É com imenso pesar que recebemos a confirmação do trágico e precoce falecimento do cantor e compositor Gabriel Diniz, que integrava o cast da Universal Music Brasil.

“Um dos maiores artistas em ascensão no Brasil, talentoso demais, um ser de muita luz, uma das pessoas mais alegres que conheci em toda a minha vida. A família Universal Music chora por sua partida. Descanse em paz meu amigo. Que as suas músicas fiquem eternizadas e nos ajudem a amenizar essa nossa dor. Muita força e conforto para todos os familiares e amigos”, lamenta Paulo Lima, presidente da companhia.

Conhecido pelo seu inigualável carisma e alegria nos palcos e fora deles, Gabriel Diniz também arrebatou uma legião de fãs pelo Brasil. No início deste ano, o cantor lançou o seu maior sucesso, “Jenifer”, que conquistou de vez o país.

Consternada com essa triste notícia, a Universal Music Brasil se solidariza com a família e amigos do cantor, que completaria 29 anos no dia 18 de outubro de 2019, além dos demais tripulantes da aeronave.

Lançamentos! DNSM, Selva, Chameleo, Pedro Thomé, Victor Cronos e Taboo (Foto: Bruno Ishihara)

Lançamentos! DNSM, Selva, Chameleo, Pedro Thomé, Victor Cronos e Taboo

Confira algumas novidades do cenário nacional

Postado em por

Separamos alguns destaques e lançamentos do cenário nacional com diferentes influências. Confira!

DNSM | Formada em 2018 na cidade de São Paulo, DNSM tem como influencias Chemical Brothers, Depeche Mode, Secos e Molhados e Mutantes , com atmosfera singular, belas melodias e sintetizadores. O grupo é formado por guitarra, vocais e sintetizadores, sem perder em nada para bandas que utilizam o modelo clássico de apresentação.

Recentemente eles lançaram o EP “Devaneios de Uma Mente Ordenada”, disponível nas plataformas digitais. O EP foi gravado, mixado e masterizado por Ronaldo Rossato no Estúdio Garagem City. O primeiro single foi lançado com um lyric video que teve arte e direção de Handel Meireles (Cafofo Filmes).

A DNSM será atração do Release Showlivre dia 12/05 as 14h, com transmissão aqui no Showlivre.com!

Confira o lyric video de “Ponto de Gira”:

SELVA | Após voltarem de uma turnê pela Ásia, Pe Lu e Brian, artistas que formam o Selva, estão lançaram o clipe da música “Amanhecer”, disponível em todas as plataformas digitais. A track é o primeiro lançamento dos artistas com a Universal Music, uma das maiores gravadoras do mundo, e representa um importante passo na carreira dos artistas.

Assista ao clipe de “Amanhecer”:

CHAMELEO | Nome que chama atenção no cenário indie e pop nacional, o curitibano Chameleo lança o EP “utopiaTABOO” após chamar atenção com clipes como “Carne” e “colorBLIND”. Agora, ele solidifica sua sonoridade com o álbum de estreia, que ganha também o clipe para a faixa “Limbo”. A canção e o vídeo retratam um momento entre a vida e a morte do próprio artista, que enfrentou um câncer recentemente.

Confira aqui o clipe de “Limbo”:

PEDRO THOMÉPedro Thomé lançou o clipe de “Chance Zero”, seu novo single, um reggae pop composto por Elan Rúbio, Marcello Henrique e Danillo Davilla. “Não via a hora de divulgar essa música. Acredito que a galera vai gostar bastante! Além de ser uma música pra cima, “Chance Zero” tem algo ingênuo, mas que no fundo passa uma mensagem muito legal”, conta Pedro.

VICTOR CRONOS | O cantor e compositor Victor Cronos lançou o videoclipe do single “Underground”. Do interior do Rio Grande do Norte para São Paulo, o artista quis dar vida à música filmando em lugares que viveu sua infância e adolescência, em Ceará-Mirim. E para que o trabalho ficasse o mais fiel possível as suas ideias e suas ousadias – transportar o espectador às paisagens por ele recriadas – fez questão de idealizar e assinar, além do roteiro, a direção artística, fotografia e figurino.

Assista ao clipe de “Underground”:

TABOO | Uma viagem psicodélica feita por camadas de recortes e memórias para retratar as dualidades e inseguranças de um relacionamento marca o novo lançamento da banda Taboo. “Entre Cortes e Jornais” foi realizado em um formato simulando a estética de colagem em uma animação criada por Jojo Hissa. A faixa está disponível nas plataformas de música digital como parte do EP de estreia, “Valência”.

Assista ao clipe de “Entre Cortes e Jornais”:

 

Dead Fish lança “Sangue Nas Mãos”, primeiro single de seu novo álbum (Foto: Marcelo Marafante)

Dead Fish lança “Sangue Nas Mãos”, primeiro single de seu novo álbum

Um dos principais nomes do hardcore nacional, banda lançou lyric video do novo trabalho

Postado em 24/05/2019 por

Após três anos, a banda Dead Fish retorna com o seu novo álbum de estúdio, “Ponto Cego”. O primeiro single do disco, “Sangue nas Mãos” (Rodrigo Lima/Ric Mastria/Marco Melloni/Alvaro Dutra), está disponível nas plataformas digitais.

Gravada no Estúdio Tambor (RJ), a faixa — assim como o resto do álbum — possui produção de Rafael Ramos. Os processos de mixagem e masterização foram realizados nos EUA por Bill Stevenson (Descendents, Black Flag, ALL) e Jason Livermore, respectivamente.

Além disso, a música chega também com um lyric video. Assista:

Com Rodrigo Lima (voz), Ric Mastria (guitarra) e Marco Melloni (bateria), o single aborda questões sociais e as mudanças recentes na política brasileira. Em “Sangue nas Mãos”, o Dead Fish reforça sua vocação ao hardcore que consagrou a banda, com poderoso instrumental de ritmo acelerado alinhado aos inconfundíveis vocais de Rodrigo Lima.

O lyric video, dirigido por Pedro Hansen, traz a letra da música acompanhada de diversas ilustrações que dialogam visualmente com o seu conteúdo. A arte — autoria de Flávio Grão — faz várias referências ao título do álbum e inclui também a ilustração que é a capa do disco. “Ponto Cego” será lançado no final de maio nas plataformas digitais e em CD, vinil e cassete.

O Dead Fish foi uma das atrações do GIG Showlivre, confira a apresentação, que aconteceu em São Paulo, na íntegra:

Lançamentos Showlivre! Yma (foto), Mad Monkees, Polako e Sr. Garvim (Foto: Pietá Rivas)

Lançamentos Showlivre! Yma, Mad Monkees, Polako e Sr. Garvim

Destaques da nova cena musical nacional são lançamentos da semana, confira!

Postado em por

Sexta-feita é o dia dos lançamentos da semana! Confira os trabalhos dos artistas que passaram recentemente pelo SHOWLIVRE.COM!

YMA | Com formação artística bastante integrada, YMA desenvolve seu processo criativo através de diversas linguagens até chegar na música. Suas produções procuram investigar as inquietações do inconsciente e canalizar o mundo que absorve com sua voz suave e doce, em ritmos embalados por sintetizadores, mistério dark e música pop.

Confira Yma no Estúdio Showlivre:

Links para apresentação ao vivo de YMA nas plataformas digitais:
Spotify, Deezer ou Apple Music: http://bit.ly/2JEs3UQ
Presente também no Napster, Google Play, Tidal, Amazon, Groove e outros.

____________________________________

MAD MONKEES | Quarteto de Rock formado em 2015 por músicos de Fortaleza, Mad Monkees traz um som firme, maduro e bem executado, deixando claro que além da influência de clássicos do Rock, também incorpora elementos do Rock contemporâneo e música alternativa dos anos 90, além de outros estilos como Blues e Heavy Metal de todas as gerações.

Confira Mad Monkees no Estúdio Showlivre:

Links para apresentação ao vivo de MAD MONKEES nas plataformas digitais:
Spotify ou Deezer: http://bit.ly/2X0cuKs
Presente também no Apple Music, Napster, Google Play, Tidal, Amazon, Groove e outros.

____________________________________

POLAKO | Polako decidiu focar em seu trabalho solo e autoral em 2018, com mais de 15 anos de estrada, período no qual atuou como “front-man” de diversas bandas. No mesmo ano ele lançou um EP produzido pelo renomado produtor Tadeu Patolla (Charlie Brown Jr, Biquini Cavadão entre outros) de forma independente. O primeiro single, “Viver a Vida”, traz o clima do verão com uma mensagem leve e positiva, abriu as portas em algumas rádios do país. O atual single de Polako, “Segredos”, é destaque em diversas rádios.

Confira Polako no Estúdio Showlivre:

Links para apresentação ao vivo de POLAKO nas plataformas digitais:
Spotify, Deezer ou Apple Music: http://bit.ly/2HyYDoR
Presente também no Napster, Google Play, Tidal, Amazon, Groove e outros.

____________________________________

SR. GARVIM | Formada em janeiro de 2015, Sr. Garvim é uma banda brasileira que nasceu na cidade de Araguari, Triângulo Mineiro, e tem como essência o Rock, que pulsa na veia dos integrantes da banda e alimenta a necessidade de seus músicos expressarem seus olhares sobre os diversos âmbitos que tangem a vida moderna.

Confira Sr. Garvim no Release Showlivre:

Links para apresentação ao vivo de SR. GARVIM nas plataformas digitais:
Spotify ou Deezer: http://bit.ly/2K3Fldg
Presente também no Apple Music, Napster, Google Play, Tidal, Amazon, Groove e outros.

 

Coruja BC1 lança “Psicodelic”, seu novo álbum (Foto: Pedro Gomes)

Coruja BC1 lança “Psicodelic”, seu novo álbum

O terceiro álbum do rapper trata da saúde mental de um jovem negro de periferia

Postado em por

O rappaer Coruja BC1 lançou seu mais novo álbum, “Psicodelic”. O álbum já está disponível nas principais plataformas digitais.

“Lágrimas de Odé” abre o disco pedindo para o Gustavo respirar antes de começar a contar passagens reais que marcaram sua vida, munido de um beat pesado e certeiro.

“Eu lembro como hoje eu, minha mãe, minha irmã no chão.
Medo, suspiro.
Eu com seis anos vendo meu pai tomar seis tiros.
Sangue no chão do barraco, no meio do gueto.
Ainda criança vi o que o sistema reservou pros preto”.

A mesma faixa muda de clima e entra numa narrativa de união, onde o rapper enfatiza que a favela precisa estar unida. Em tempos de genocídio da população negra e periférica, Coruja BC1 pede para que seus irmãos de cor não deixem a guerra entrar em seus terreiros, pois eles morrerão primeiro.

“Psicodelic” tem a saúde mental como pano de fundo para as narrativas de um jovem periférico. Memórias, traumas, críticas, anseios e (até) amor permeiam a mente de Coruja BC1, que transforma essas sensações em afiados textos. Não é à toa que ele se comunica com maestria com os jovens brasileiros.

Antes do disco, os três clipes/singles lançados já somam mais de 1 milhão de visualizações no Youtube . Tudo orgânico, vale frisar.

“Apócrifo”, como o nome já diz, é uma crítica aos falsos. A ilegitimidade das pessoas é alvo de Coruja e cada frase é um tapa na cara da sociedade.

Confira o clipe de “Apócrifo”:

“Fogo” reflete a reação de raiva e rebeldia de um jovem negro periférico que sonha com um futuro próspero, com bens materiais, enquanto as pessoas torcem para os planos darem errado.

“Por mais que tentem nos apagar, damos um jeito de acender de novo. Somos a era do fogo, botamos fogo pra mostrar que eles não podem apagar a chama de nossa história, de nossa ancestralidade, e de nossa fé” define o rapper.

Confira o clipe de “Fogo”:

O rapper mineiro Djonga abre a vasta lista de participações especiais do disco na faixa “Gu$tavo$”. Um beat soturno que remete a clássicos do NAS ou Dr. Dree serve de base para o dueto dos MCs, que hoje são os maiores destaques do rap nacional.

A faixa 5 é um interlúdio, que simula Coruja BC1 conversando com uma psicóloga. A história que ele conta, sobre desigualdade social, é real. E a terapeuta diz que ele fala pouco sobre o amor.

Na sequência, entram as faixas mais sentimentais, com batidas mais lentas, instrumentos orgânicos como violão, saxofone e piano. Aqui a estética do trap fala alto. “Meu Anjo”, “Dopamina”, o hit “Éramos Tipo Funk”, cujo clipe conta com a participação do rapper Zudizilla. Ele aparece na faixa seguinte “Um Acorde (feat. Zudizilla)”, encerrando a sessão love songs.

Confira o clipe de “Éramos Tipo Funk”:

Em “Digital Influencer”, Coruja BC1 discorre sobre vaidade, assuntos rasos e mente eufórica munido de uma linguagem digital. O samba “Camisa 12” tem a bela voz de Késia Estácio numa narrativa sobre vitórias e derrotas dentro e fora do campo.

O rapper Diomedes Chinaski aparece em “Ogum”, um trap que poderia ser interpretado como uma versão atualíssima do clássico “Jorge da Capadócia” gravado pelos Racionais MC’s em 1997. Na faixa seguinte, “Kimpa Vita” Coruja BC1 convoca seus manos Akill Mabili, Boy Killa e Obigo para darem a letra, num polêmico trap que reflete as opiniões da novíssima geração de rimadores.

“Psicodelic” encerra em grandioso estilo. “Skr” traz um beat bem grave de rap old school, que lembra uma mistura de Wu Tang Clan com Rakim. Por cima desse peso em forma de base, Coruja BC1 manda um alerta aos seus irmãos: “não se iluda, o jogo é sujo e você é usado sem perceber”, finaliza.