Cadastre-se / Entrar
22449

PAUTA
Informação e música em harmonia

Garotos do Ben & Vivi Sader: 55 anos de carreira de Jorge Ben Jor inspira tributo de amigos

Da esq. para a dir, Leonard Ben, Gabriel Oliveira e Vivi Sader. Foto: Afonso Cavalcante

Com releituras de clássicos do artista, projeto coincide com o lançamento de um livro de poemas influenciados pela escrita intuitiva do Babulina

Postado em 4 de dezembro de 2018 por

Além do fato de se conhecerem desde a infância, quando cursaram em um mesmo colégio o Ensino Fundamental, os amigos Leonardo Calderoni, Gabriel Oliveira e Vivi Sader também têm em comum a paixão pela grande arte de Jorge Ben Jor.

Patrimônio da música brasileira desde 1963, quando lançou, pela Philips, Samba Esquema Novo, seu clássico álbum de estreia, o cantor e compositor carioca completa, em 2018, 55 anos de carreira. A efeméride especial levou o trio de amigos a idealizar um tributo intimista ao ídolo. Recentemente, Calderoni, poeta, Oliveira, cantor e compositor, e Sader, cantora e compositora, divulgaram as primeiras peças do projeto intitulado Garotos do Ben & Vivi Sader: Jorge Anjo 55.

São duas releituras: Meus Filhos, Meu Tesouro, do álbum África Brasil, que ganhou novos título e intertítulo, Meus Filhos, Meu Tesouro II (Seus Filhos/Seu Tesouro), e teve também a letra alterada em trechos em que o ponto de vista do compositor parece incoerente com questões urgentes, como o combate à misoginia (entenda a seguir, no depoimento de Vivi); e Que Pena (Ela Já Não Gosta Mais de Mim), gravada pelo autor no álbum tropicalista de 1969 (informalmente conhecido como Flamengo) e primeiramente sucesso nas vozes de Gal Costa e Caetano Veloso na versão lançada no álbum epônimo daquele mesmo ano da cantora baiana.

Calderoni, que, não por acaso, incorporou o sobrenome artístico Ben, também acaba de lançar um livro de poesia inspirado no lirismo intuitivo do artista carioca. Ben Jorge Contra-Ataca O Suco de Orge e Outros Poemas (Novo Século Editora, 178 páginas), será lançado em São Paulo na próxima quarta-feira (5), às 19h, no hostel e bar Que Tal (saiba mais detalhes).

Em entrevista à reportagem do Showlivre.com, os três amigos falaram sobre a idealização do projeto, a escolha dos arranjos e a influência exercida por Ben Jor em seus trabalhos autorais. Sobre Ben Jorge Contra-Ataca O Suco de Orge e Outros Poemas, Leonardo Ben também explica como o livro é o ápice de um processo que o levou à superação de um quadro de depressão com a audição regular da discografia solar e positiva de Jorge Ben Jor.

Como se deu a ideia de fazer as releituras? Algum motivo especial para a escolha das duas primeiras regravações?
Leonardo Ben: A vontade de fazer uma homenagem aos 55 anos de carreira do Jorge surgiu na época em que a dupla Garotos do Ben lançou um primeiro single. Inspiração que, por sua vez, surgiu a partir de um poema do meu livro (a letra da música é um poema do primeiro capítulo, dedicado ao Jorge Ben). Depois de descartar várias ideias nesse sentido, cheguei à hipótese de fazer uma paráfrase da canção Meus Filhos, Meu Tesouro, que, até onde eu pude pesquisar, nunca havia sido regravada. A ideia que se consolidou foi, com uma nova letra, inverter o diálogo que Jorge trava com seus três “filhinhos” imaginários na canção original. Agora, seriam três dos seus filhos (de arte) que falariam para ele. Por isso que a canção chama Meus Filhos, Meu Tesouro II (Seus Filhos, Seu Tesouro), pois possui ao mesmo tempo um aspecto de continuidade e releitura como também de novidade. Ao invés de “Arthur Miró”, “Anabela Gorda” e “Jesus Correa”, somos nós mesmos (Leonardo Ben, Vivi Sader e Gabriel Oliveira), cantando, no diálogo com o Jorge. Já a outra canção, Que Pena, surgiu como um complemento à homenagem por ser um grande clássico que todos nós adoramos.

Como você antecipou, o livro com poemas inspirados na obra de Jorge é o ápice de um processo que envolveu a superação de uma depressão. Como se deu essa transição?
Leonardo Ben: Eu tenho uma relação com o Jorge Ben que é muito mais do que artística. Eu costumo dizer que é algo que está mais para espiritual mesmo, que influencia indubitavelmente o jeito como vejo o mundo e lido com a vida. Quando eu era mais novo, tinha uns 14 anos, minha irmã mais velha mostrou para mim o LP A Tábua de Esmeralda e, desde então, não passa praticamente uma semana sem que eu o escute pelo menos uma vez. Esse foi o ponto de partida para eu me aprofundar na obra do Jorge Ben e criar essa relação que tenho com ele hoje em dia. Na época em que estava profundamente deprimido e não conseguia fazer praticamente nada, uma das únicas coisas que me davam um alento era escutar o Jorge. Conforme eu fui me tratando com ajuda profissional e melhorando, eu fui mergulhando e revisitando ainda mais a sua discografia, assim como pesquisando sobre a sua vida. Quase que como uma consequência natural disso, foram surgindo as ideias de fazer poesias, que desdobraram na feitura do livro. As referências e inspirações que tenho no livro vão além do Jorge (no que se refere à poesia “pura”, meu grande norte é Fernando Pessoa e seus heterônimos). Mas o ponto de partida e a maior influência artística sempre foi e será o Jorge Ben. Até por isso adotei o sobrenome “Ben” como pseudônimo.

Como se deu o processo de escrita dos arranjos e a execução dos instrumentos nos registros?
Gabriel Oliveira: O processo se deu com muita simplicidade. Há muito tempo que toco essa música e já tinha a forma dela muito bem estruturada na minha mente. A partir disso fiz uma guia com voz e violão e fui acrescentando os outros instrumentos. Primeiro, faço a “fundação” com bateria e baixo, logo depois percussões e guitarras e flautas. Logo depois fiz a introdução. Por último as vozes. É um processo já bem internalizado por mim, já que uso essa ordem na maioria de minhas produções (acesse o canal do artista no YouTube e conheça o projeto Música ao Cubo³ em que ele executa nove partes de um mesmo arranjo de suas composições).

Qual a influência da estética musical de Jorge sobre sua faceta de cantor, instrumentista e compositor
Gabriel Oliveira: O Jorge tem influência muito forte no meu trabalho musical. Ainda adolescente passei a me interessar mais pela música brasileira e todas as suas misturas e foi por meio das músicas do Jorge que consegui fazer uma pesquisa mais profunda. Ele foi, pra mim, o eixo, o ponto central que ligou bossa nova, samba, tropicália, jovem guarda e tantos outros ritmos. Tudo o que eu ouvi de música brasileira por algum tempo era “meio Jorge Ben” de alguma maneira. Além disso a temática das letras me ajudou a me identificar com e amar ainda mais a cultura popular brasileira. Esteticamente falando, o lance da mão direita suingada do Ben passou direto pra mim, quase por osmose. Assim que comecei a tirar as músicas, além de decorar os acordes eu também fazia questão de decorar as batidas exatamente iguais. Primeiro no violão com Samba Esquema Novo, depois na guitarra copiando África Brasil. Como compositor, a liberdade métrica que ele propõe sempre me traz uma alternativa a letras mais desafiadoras. Essa liberdade métrica acaba refletindo em belas e diferenciadas melodias que também influenciaram minha maneira de cantar.

Ouça a releitura de Meus Filhos, Meu Tesouro, Meu Futuro

Como se deu o processo de extrair o melhor do encontro das três vozes?
Vivi Sader: Olha, achar o melhor tom para três pessoas cantando junto não é coisa fácil. Apesar disso, o processo de gravação foi super gostoso, conseguimos um ambiente agradável e silencioso, em que os três estivessem confortáveis. Num primeiro momento, conversamos sobre o projeto, gravamos guias nos tons que achávamos serem os melhores para os três e, na prática, acabou sendo um pouco diferente, como tudo na vida. Descemos o tom de Seus Filhos, subimos o tom de Que Pena. Tivemos que mudar um pouco as coisas ao longo do processo para garantir encontrar a melhor composição entre as três vozes. Entre encontros, gravações, chás e regravações, acho que funcionou muito bem. Fiz o Ensino Fundamental na mesma sala com Leo e Gabriel, acho que a intimidade entre nós sempre existiu, e em processos como esse você precisa dizer que alguma coisa não ficou tão boa, que precisa melhorar aqui ou ali, apontar defeitos é difícil, mas acho que tudo fluiu naturalmente. Foi delicioso fazer parte disso e o resultado tem agradado a todos.

Como é a relação de vocês com a música de Jorge Ben Jor?
Leonardo Ben: Minha relação com a música do Jorge Ben vai muito além do interesse artístico, é algo quase espiritual mesmo. Fã e profundo admirador eu sou de Chico, Caetano, Gil e tantos outros. Jorge Ben é outra coisa. Para mim, escutar Jorge Ben é mais ou menos a mesma coisa que rezar todos os dias para uma pessoa muito religiosa. É parte constituinte de mim, já incorporada na minha vida e rotina.

Gabriel Oliveira: A música de Jorge Ben Jor esteve presente na minha vida desde a adolescência e permanece nela desde então. Foi a minha introdução à música brasileira e é uma obra que permaneço descobrindo a cada dia que passa. Ele é com certeza o primeiro artista que penso quando vou tocar espontaneamente em uma festa ou reunião e o efeito é infalível: todo mundo cai na dança e canta junto. A música dele com certeza faz parte da minha em muitas maneiras, mas principalmente no suingue tropical. Ele sempre estará na minha lista de artistas favoritos por sintetizar tão bem os assuntos e os ritmos que constroem esse país tropical, tão rico e diverso.

Vivi Sader: Jorge Ben é sem dúvida um gênio e sua discografia será eterna. Minha relação com ele é de fã absoluta versus celebridade inatingível. Às vezes me refiro a ele como se estivesse em outro plano, de tão mito intocado está formada a figura dele dentro de mim. Ainda assim, confesso, há pouco menos de um ano estive num show dele, em um festival e algo me incomodou. Ele era a atração principal e havia quatro mil pessoas em volta do palco, maior clima lindo, estava chovendo enquanto ele cantava Chove Chuva, e a galera toda pulando na chuva sem medo. No final do show, ele tocou a música Gostosa e pediu que só mulheres subissem no palco… Umas 30, 40 mulheres subiram dançando, enquanto ele olhava para todas e cantava: “Gostosa! Gostosa! Gostosa!”. Sem querer me peguei avaliando aquilo como algo negativo, porque achei, em pleno 2018, ofensivo às garotas e também achei chato que homens não puderam subir. De alguma forma, pensei: machista! Mas na sequencia me corrigi, soube que era ele, cantando uma música que foi composta em outro contexto histórico, em outro momento de mundo, em que isso era ok, e o perdoei dentro do meu sentimento. Nesse sentido, foi legal que na sequência o Leo me chamou para participar do projeto com uma proposta de releitura de Meus Filhos, Meu Tesouro, canção que, entre outras coisas, toca nessa questão. Se na música original, lá em 1976, a “Anabela Gorda” queria ser “dona de casa atuante ou mulher de milionário”, nessa versão de 2018, eu canto que “não vou ser dona de casa atuante nem mulher de milionário” mas “vou ser bela cantante e não dar trela pra otário”. Uma feliz coincidência, que de qualquer jeito não muda o que sinto por esse grande artista, que merece todas as homenagens. Jorge, eu te amo!

MAIS
Ouça a releitura de Que Pena (Ela Já Não Gosta Mais de Mim) 

Leia Carlos, Anjo (de) 02, um dos poemas de Ben Jorge Contra-Ataca O Suco de Orge e Outros Poemas, dedicado a Jorge Ben Jor e Carlos Drummond de Andrade

Carlos, Anjo (de) 02
(Leonardo Ben)

Carlos não é desse mundo
Que parece meio perdido
Sem nenhum sobressalto
De uma flor num asfalto

Carlos era sábio como Ben
Pois também falava de flores
E fazia, amiúde, dos versos também
Cavalaria anti-todas as dores

A Jorge eu sempre cortejo
Porque é igual ao santo;
A Carlos o mesmo tratamento
Pois é divino como o anjo

 

‘Verdade ou Consequência’: Carol & Vitoria juntam forças com Bivolt em novo single

‘Verdade ou Consequência’: Carol & Vitoria juntam forças com Bivolt para novo single. (Foto: Divulgação)

Faixa marca nova fase na carreira da dupla e reforça a discussão sobre empoderamento feminino e amor próprio

Postado em 22/02/2019 por

O fim de semana começou bastante animado para a dupla Carol & Vitoria! A dupla, que ficou famosa na internet, juntou forças com a rapper Bivolt e, nesta sexta-feira (22), divulgou seu novo single, ‘Verdade ou Consequência’. A faixa chega para reforçar o empoderamento feminino e o amor próprio.

O videoclipe da parceria já está disponível no canal oficial das meninas no YouTube. Assista:

 

A faixa foi composta por Carol, que desabafa sobre um momento que passou e diz que o single será um divisor de águas na carreira da dupla. “Foi a música mais fácil de compor da minha vida. Eu sempre sou muito intensa quando me apaixono e não vou mais suportar que brinquem com meus sentimentos. Este single é “, conta. A personalidade e o som da paulista Bivolt se unem à melodia e se encaixam perfeitamente com a nova proposta da dupla.

Sobre a escolha, a cantora contou que a história de vida da rapper contribuiu muito para a parceria. “A Bivolt também passou por um relacionamento abusivo e achamos muito legal ter uma voz feminina do rap junto com a gente pra contar essa história”, disse.

Disponível em todas as plataformas digitais, a música é forte e mostra que Carol & Vitoria vieram com força para mostrar quem são. “Pra mim esse single representa nossa nova fase, C&V estão prontas pra mostrar o lado ousado que todo mundo queria ver. Estamos muito ansiosas com o que o público vai achar”, concluiu a cantora.

Atualmente, as irmãs acumulam mais de 4.5 milhões de inscritos no canal da dupla no YouTube e mais de 300 milhões de visualizações. Além de “Jura Juradinho”, que já soma mais de 10 milhões de visualizações, elas já lançaram mais duas canções autorais – “Mais Que Um Verão” e “Numa Dessas Voltas”, que somam mais de 2,1 milhões de visualizações.

‘Geladinho’: Aretuza Lovi lança novo single para o carnaval. Confira!

‘Geladinho’: Aretuza Lovi lança novo single para o carnaval. (Foto: Divulgação)

Classificada pelos fãs como uma faixa ‘empolgante’, o single está disponível em todas as plataformas de streaming

Postado em por

Depois de alguns singles bem-sucedidos do ‘Mercadinho’, recente álbum de Aretuza Lovi, a drag queen volta aos holofotes com sua aposta para o carnaval.  Com influências do axé, funk e eletrônico, ‘Geladinho’ segue com a principal característica da drag quem suas músicas: muita festa e alto astral.

Ouça:

 

A faixa é uma composição de Aretuza em parceria com Ruxell, Pablo Bispo, Sérgio Santos, nomes conhecidos do mercado musical, que também assinam a produção. Os três colecionam trabalhos com Iza, Pabllo Vittar, Gloria Groove, entre outros.

Geladinho, também chamado em outras regiões do Brasil de dindin, sacolé, chup chup, flau, entre outros nomes, é popular no carnaval, por isso a música chega para antecipar as festividades.

Sobre a música, Aretuza conta: “’Geladinho’ vem com essa proposta Funk 150, com mistura de axé, que sou apaixonada. Quis fazer essa junção, que é uma característica minha, de fundir e fazer uma mistura muito louca, muito swingada, com bastante percussão”.

Mas se engana quem acha que a música foi feita ao acaso. “Geladinho faz parte da minha história, pude trazer o que vivi na minha adolescência. Fazia geladinho para vender nas oficinas. Quis trazer o geladinho, que é muito popular em todos os estados do Brasil e unificar”, conta Aretuza. “E tem essa pegada de calor, swing, suor, refrescância, clima tropical… espero que caia na boca do povo nesse carnaval”, finaliza.

Aretuza Lovi é uma super-parceria do Showlivre.com. Em junho de 2017, a drag queen apresentou seus sucessos no Estúdio Showlivre. Assista:

Ao lado de Whindersson, Luisa Sonza divulga versão forró do hit ‘Boa Menina’

Ao lado de Whindersson, Luisa Sonza divulga versão forró do hit ‘Boa Menina’. (Foto: Reprodução/ YouTube)

Com uma pegada totalmente descontraída, o clipe oficial da versão alternativa foi gravado – inteiramente – na casa do casal

Postado em por

A cantora e compositora Luísa Sonza acaba de lançar o clipe em versão forró de seu single “Boa Menina”, em seu canal oficial no YouTube. Tendo como locação a própria casa de Luísa, o clipe traz um clima de total descontração, animação e energia lá no alto. Para a gravação, Luísa contou com a participação de seu marido, Whindersson Nunes, sua prima Nadine Gerloff, seu amigo Gabriel Rocha e suas três cachorrinhas, Amora, Regina e Gisele. Assista:

A versão original de “Boa Menina” foi lançada em outubro do ano passado e conta com mais de 47.5 milhões de views no YouTube. O hit também é sucesso nas plataformas digitais. São mais de 13.3 milhões de streamings no Spotify. Confira o clipe oficial: 

 

 

Além do lançamento, Luísa está cheia de projetos para esse ano e se prepara para o lançamento de seu novo álbum, que virá cheio de novidades. A cantora, que vive um momento de ascensão na carreira, com apenas 20 anos de idade, vem emplacando diversos hits com o público. Os quatro clipes que ela lançou em 2018 (“Rebolar”, “Devagarinho”, “Boa Menina” e “Nunca Foi Sorte”) somam juntos mais de 145 milhões de visualizações na internet.

 

Depois do sucesso de vendas, Shawn Mendes anuncia show extra em São Paulo

São Paulo é a cidade que mais consome Shawn Mendes no mundo. (Foto: Divulgação)

Com mais de 530 mil ouvintes mensais, a cidade é o lugar onde o cantor possui mais fãs no mundo todo

Postado em por

Depois do sucesso de vendas dos ingressos da apresentação de Shawn Mendes em São Paulo, a Move Concerts – produtora oficial do evento – resolveu atender os pedidos dos fãs e anunciou que a cidade vai, sim, ganhar um show extra. A nova apresentação acontecerá no dia 29 de novembro, um dia antes do show principal, também no Allianz Parque.

O anúncio aconteceu nas redes sociais da Move Concerts. Na publicação, a produtora contou que sempre está de olho nos pedidos dos fãs no Twitter e que os ingressos para o show extra devem começar no dia 10 de março.

O sucesso de vendas não é uma surpresa pra ninguém, já que – no Spotify – São Paulo é a cidade que mais consome Shawn Mendes no mundo. Em números, apenas no Spotify, o cantor canadense ostenta mais de 520 mil ouvintes mensais na capital paulista.

O levantamento é constantemente atualizado na própria página do cantor, no Spotify – maior plataforma de streaming do mundo. Por lá, São Paulo aparece na frente de lugares como Cidade do México (México), Quezon (Filipinas), Jacarta (Indonésia) e Londres (Inglaterra).

Shawn Mendes é uma fábrica de hits! O cantor é um dos novos queridinhos da música pop e coleciona sucessos ao longo de sua carreira, que conta com três álbuns de estúdio. ‘Treat You Better’, seu single mais famoso, conta com mais de 1,6 bilhões de reproduções no YouTube. Assista:

 

Além dos dois shows em São Paulo, a turnê de seu terceiro álbum, intitulado ‘Shawn Mendes’, também contará com uma apresentação na Jeunesse Arena (03/12), no Rio de Janeiro. Os ingressos para ambas apresentações estão à venda no site oficial da Livepass.

Depois de hiato, Simone e Simaria anunciam volta aos palcos para o próximo mês

Depois de hiato, Simone e Simaria anunciam volta aos palcos para o próximo mês.

A dupla havia cancelado toda a agenda de shows para que Simaria cuidasse de sua saúde física e mental

Postado em 21/02/2019 por

Depois de alguns meses longe dos palcos, Simone e Simaria estão de volta! A dupla, dona de sucessos como ‘Loka’ e ‘Meu Violão e o Nosso Cachorro’, anunciou que o retorno já está marcado e acontecerá antes do que todos pensavam: dia 3 de março, em Recife (PE).

O retorno acontece da melhor maneira, considerando a temporada de folia e alto astral que chega com o carnaval: as irmãs se apresentam no popular Camarote Cavalheira da Ladeira. No dia seguinte, a festa continua no Camarote Olinda, também na capital Pernambucana.

Para alegria dos fãs, Simone e Simaria preparam um repertório animadíssimo e não pode faltar, claro, o novo hit “Qualidade de vida”, música em parceria com Ludmilla que vem agitando as plataformas digitais e conquistando cada vez o publico. No canal oficial da dupla no Youtube, a canção ultrapassa os 30 milhões de visualizações e, no Spotify, figura entre as dez músicas mais executadas no Brasil. A canção é a primeira faixa do DVD “Aperte o play”, que tem previsão de lançamento para final de março. Assista:

‘Errata Perfeita’: Jota.pê anuncia EP e antecipa primeiro single. Confira!

‘Errata Perfeita’: Jota.pê anuncia EP e antecipa primeiro single. (Foto: Divulgação/ Bruno Silva)

Iniciando uma série de estreias programadas para 2019, cantor apresenta “Errata Perfeita”. Com letra de Camila Brasil, faixa foi produzida por Lucas Mayer

Postado em por

Conhecido como um dos nomes mais quentes da música brasileira, com vertentes que vão de Jorge Ben a Caetano Veloso, passando pelo manguebeat de Chico Science, Jota.pê anuncia EP para o segundo semestre do ano e antecipa single “Errata Perfeita”.

Com letra de Camila Brasil e produção musical de Lucas Mayer, faixa tem atmosfera dançante e é embalada por sons de percussão, timbres de guitarra e toques de eletrônicos. De um lado, as influências surgem no intenso rock and roll. Do outro, serenidade e leveza na voz e violão. “Eu estou, realmente, muito feliz por essa nova fase. Estar ao lado de tanta gente que admiro, artistas que compreenderam perfeitamente minha identidade musical e minhas influências, abriram possibilidades que nem eu mesmo tinha imaginado. Tudo foi traduzido em uma sonoridade que me representa com verdade”, explica.

Disponível em todas as plataformas digitais, “Errata Perfeita” foi mixada e masterizada por Rodrigo Deltoro. Ouça:

 

Entre os músicos convidados, Marcelo Mariano (baixo), Kabé Pinheiro (bateria/percussão), Anna Tréa (guitarra e voz) e Silvinho Erne (teclado).

 

Banda Melim disponibiliza no Youtube parte do show gravado em São Paulo

Banda Melim disponibiliza no Youtube parte do show gravado em São Paulo. (Foto: Divulgação/ Sergio Blazer)

Ao todo, estão disponibilizados oito vídeos para os fãs da banda assistirem: “Peça Felicidade”, “Ouvi Dizer”, “Hipnotizou”, “Confusão”, “Sabe Lá”, “Mergulho no Mar”, “Era Pra Ser Outra Canção Feliz” e “Dois Corações”

Postado em por

A banda Melim acaba de lançar em seu canal oficial do YouTube uma parte do show gravado em outubro do ano passado, no Cine Joia, em São Paulo, que contou com a produção e direção de Santiago Ferraz, da US3, e o cenário do premiado Zé Carratu. Assista aqui.

Ao todo, estão disponibilizados oito vídeos para os fãs da banda assistirem: “Peça Felicidade”, “Ouvi Dizer”, “Hipnotizou”, “Confusão”, “Sabe Lá”, “Mergulho no Mar”, “Era Pra Ser Outra Canção Feliz” e “Dois Corações”. A outra metade da gravação tem previsão de lançamento para o dia 14 de março.

Eu tô muito feliz com esse lançamento! Sempre curti escutar álbuns ao vivo, porque misturam a emoção da música com o público. E adorei o resultado do nosso”, conta Rodrigo. “A escolha do Cine Joia e toda parte artística visual e musical passa muita energia e alegria. Espero que o público curta muito, foi feito com muito carinho”, completa.

Aqui em casa tá todo mundo emocionado, não só pela qualidade do material (as músicas ficaram realmente ainda mais bonitas), mas pela resposta do público e por sabermos da importância desse primeiro audiovisual na nossa carreiraA gente tá feliz demais, eu nem sei dizer o quanto”, revela Diogo.

Já Gabi diz que é lindo ver mais um sonho nascer: “Gravamos o disco com todo amor do mundo. Então, colocar as canções no show e escutar o público cantando, os olhos sorrindo, tanto carinho da galera… É demais! Esse ao vivo é um registro muito especial das nossas composições, agora com a soma das vozes e a nossa imagem junto. Estamos muito felizes com o resultado. As músicas ficam mais emocionantes com o afeto do público”.

As gravações estão disponíveis no canal oficial da banda no YouTube. Assista ‘Peça Felicidade’:

 

Para conferir as outras faixas do projeto, clique AQUI.

‘Meu Abrigo’, um dos maiores sucessos do trio, foi lançado no YouTube em dezembro e 2017 e, atualmente, conta com mais de 170 milhões de visualizações. Confira:

 

 

Gato de Taylor Swift é o terceiro animal mais rico do mundo

Com campanhas publicitárias e ações online, o pet já acumulou – para a dona – cerca de US$ 97 milhões

Postado em por

Depois do cachê milionário recusado por Drake para se apresentar no Rock In Rio, a curiosidade sobre os ganhos e movimentação de capital por artistas musicais cresceu e, nesta semana, outro fato ‘chocante’ tomou lugar na discussão dos internautas: Olivia Benson, a gatinha da cantora Taylor Swift, acabou de entrar para o Top 3 da lista dos animais mais ricos do mundo.

No total, o pet teria acumulado mais de US$ 97 milhões (mais de 365 milhões de reais) com ações nas redes sociais e campanhas para marcas famosas, como a Coca-Cola e Keds Sneakers.

olivia-benson-is-a-star-2 Gato de Taylor Swift é o terceiro animal mais rico do mundo

Além do Pet de Taylor Swift, a lista também é composta por animais de todo o mundo e que, de alguma maneira, renderam milhões de dólares. O primeiro colocado, por exemplo, é um cachorro (sortudo) que ganhou como herança – da condessa alemã Carlotta Leibenstein – cerca de US$ 375 milhões (quase 1,5 bilhões de reais).

O motivo pelo qual o site resolveu atualizar é lista foi a morte do estilista Karl Lagerfeld, que morreu nesta semana e deixou parte de sua fortuna para sua gatinha Choupette – que inclusive tem um dos perfis mais populares do Instagram. O animal ainda não aparece na nova atualização.

Confira o Top 10:

MW-HE224_riches_20190220110526_ZH Gato de Taylor Swift é o terceiro animal mais rico do mundo

Além de sua gata, Taylor Swift também é uma das figuras mais rentáveis do mundo. No ano passado, por exemplo, a cantora arrecadou cerca de US$ 80 milhões e ficou em segundo lugar da lista das mulheres mais bem pagas da música, perdendo apenas para também norte-americana Katy Perry.

No YouTube, Taylor é uma das maiores. O videoclipe de ‘Shake It Off’, lançado em agosto de 2014, é o segundo vídeo feminino mais visto do YouTube. Atualmente, a produção conta com mais de 2,7 bilhões de visualizações. Confira:

Pabllo Vittar e Iza lideram pesquisa de desejo do público para o Rock In Rio

Pabllo Vittar e Iza lideram pesquisa de vontade do público para o Rock In Rio.

Gloria Groove, Ivete Sangalo e Claudia Leitte também aparecem entre os cinco nomes mais desejados

Postado em 20/02/2019 por

Depois de testar a vontade do público para nomes internacionais, o Portal Popline está promovendo uma pesquisa para descobrir quais são os nomes nacionais mais desejados pelo público para compor o line-up oficial do Rock In Rio 2019. A drag queen Pabllo Vittar, com mais de 3700 votos, lidera o ranking e é seguida pela ‘pesadona’ Iza, que acumula mais de 2 mil votos.

Além das donas de ‘Problema Seu’ e ‘Ginga’, nomes como Gloria Groove, Ivete Sangalo e Claudia Leitte também aparecem no Top 5. Embora com um número reduzido de votos, o público também demonstra a vontade de ver nomes populares como Jão, Anavitória, Lexa, Ludmilla, Karol Conká, Alok e até a dupla Sandy & Junior em um dos palcos do festival.

A presença de Pabllo Vittar, o nome mais votado da lista, chegou até a entrar para os assuntos mais comentados do Brasil no Twitter. A drag – que conversou com EXCLUSIVIDADE com a equipe do Showlivre – lançou, no começo deste mês, o videoclipe de ‘Seu Crime’ e já acumula mais de 6 milhões de visualizações. Assista:

 

O Rock In Rio 2019 está marcado para acontecer entre os dias 27 de setembro e 6 de outubro. Até o momento, o line-up oficial do evento conta com nomes como Seal, Iron Maiden, Sepultura, Anitta, P!nk, Muse, The Black Eyed Peas e Red Hot Chili Peppers.

Ariana Grande se iguala aos Beatles em feito histórico na Billboard Hot 100

Ariana Grande se iguala aos Beatles em feito histórico na Billboard Hot 100. (Foto: Reprodução)

A cantora é a primeira artista, depois dos Beatles (em 1964) a ocupar – simultaneamente – as três primeiras posições do ranking mais importante do mundo

Postado em por

Ariana Grande é um dos nomes mais populares da música mundial. Com mais de 55 milhões de ouvintes mensais no Spotify e uma série de recordes quebrados, a cantora acaba de conquistar algo para lá de importante: igualar-se, na Billboard Hot 100, aos Beatles. Na nova atualização, Ariana Grande ocupa – simultaneamente – as três primeiras posições do ranking.

O quadro da cantora na Billboard Hot 100 está assim: ‘7 Rings’ manteve-se na primeira posição da lista e ‘barrou’ a faixa ‘Break Up With Your Boyfriend, I’m Bored’, que estreou direto na segunda posição. ‘Thank U, Next’, faixa que deu nome ao álbum e já liderou a lista, saltou da 7ª posição direto para o 3° lugar. Nas redes sociais, a cantora contou que não acreditou que isso fosse verdade e comemorou a conquista. “Achei que tivessem editado isso”, escreveu.

Pra você ter uma ideia da dificuldade da conquista, demorou 55 anos para acontecer de novo. Esse fenômeno, se podemos classificar assim, havia acontecido somente uma vez na história da música mundial, quando – em 1964 – os Beatles conseguiram colocar ‘Can’t Buy Me Love’, ‘Twist and Shout’ e ‘Do You Want To Know a Secret?’ nas três primeiras posições da lista das mais populares.

Nesta semana, na internet, os fãs de Ariana Grande promoveram uma campanha à favor do boicote a ‘7 Rings’ para que ‘Break Up With Your Boyfriend, I’m Bored’ conseguisse a primeira posição e a cantora chegasse mais perto de quebrar o recorde de Katy Perry – até hoje a única mulher a ter cinco faixas do mesmo álbum na primeira posição da lista.

Lançada no mês passado, ‘7 Rings’ acumula quase 190 milhões de plays no YouTube. Confira: